domingo, 17 de janeiro de 2016

Como investir pg

Exclusão do Direito de Preferência
Apesar do direito de preferência ser considerado um direito essencial do acionista, a
Lei das S.A. permite que nas companhias abertas com capital autorizado1, em certas
situações excepcionais, tal direito seja excluído ou, ainda, que o prazo de 30 dias para
o seu exercício seja reduzido, desde que haja previsão no estatuto social. Estas situações
excepcionais são: festa a fantasia
.. Emissão de ações para venda em bolsa de valores ou subscrição pública;
.. Permuta por ações, em ofertas públicas de aquisição de controle de outras
companhias; arquitetura em ponta grossa

.. Aumentos de capital no âmbito de projetos de incentivos fiscais.
Além disso, os acionistas não terão direito de preferência nos casos de:
.. Conversão de debêntures e outros títulos em ações, posto que, nestas hipóteses,
o direito de preferência deve ser exercido no momento da emissão do título;
.. Outorga e exercício de opção de compra de ações aos administradores, empregados
ou outras pessoas naturais que prestem serviços à companhia ou a sociedades
sob seu controle. praticar yoga   praticar pilates encontrar vagas de emprego

Em todos os casos acima mencionados, a exclusão ou a redução do prazo do direito
de preferência deverá afetar todos os acionistas, não podendo haver distinção no tratamento
de acionistas controladores e minoritários.
4.2.5. Bonificações curso de pintura hidrografica wtp
Ao longo das atividades, a Companhia poderá destinar parte dos lucros sociais para
a constituição de uma conta de “Reservas”. Caso a companhia queira, em exercício
social posterior, distribuir aos acionistas o valor acumulado na conta de Reservas,
poderá fazê-lo na forma de Bonificação, podendo efetuar o pagamento em espécie ou
com a distribuição de novas ações. curso de pintura hidrografica

Direito de Voto
Nas sociedades por ações, a vontade social forma-se por meio do exercício do direito
de voto, manifestado nas Assembleias Gerais.
O acionista, ao participar e votar nas Assembleias Gerais, exerce uma prerrogativa
fundamental da condição de acionista, visto que o voto por ele manifestado poderá
influenciar a formação da vontade da sociedade.
Ao exercer tal direito, o acionista, seja minoritário ou controlador, deve sempre observar
o princípio básico de que o voto visa ao atendimento do interesse da sociedade,
e não aos interesses particulares de cada acionista.
A

Nenhum comentário:

Postar um comentário